Pular para o conteúdo principal

Ser mãe!

Ser mãe .
Tarefa difícil.
Ainda mais nos tempos de hoje.
Antigamente;
No meu tempo .
Aff..
Soa como se fosse no século passado.
Bem enfim.
Fui criada de uma forma meio repressora.
Onde não se falava de nada.
Nada sobre sexo.
Nada sobre drogas.
Nem sei como sobrevivi.
Porque nos anos 80 .
A droga era uma coisa muito latente.
Era figurinha fácil de se ver.
Nos shows.
Os shows!
Amo música.
Sempre ia .
Na maioria das vezes escondida.
Com amigas na mesma situação.
Eu perguntava posso ir ao show tal?
Apenas se dizia não!
Não!
Mas porque não?
Não havia diálogo.
Era não e pronto.
Eu nunca experimentei drogas.
Nem maconha ,nem cocaína.
Não tinha vontade de beber.
Nada alcoólico.
Me divertia da minha forma do meu jeito.
Quem me ensinou?!
A vida.
Via com os meus próprios olhos.
Amigos meus em coma alcoólica.
Fumando e cheirando.
Via depois o efeito que aquilo gerava neles.
Sinceramente não gostava.
Me ofereciam direto.
Mais nunca precisei desses" baratos".
Para ser feliz.
Muitos já nem estão entre nós.
Por causa das drogas.
Só ouvia "se você usar drogas vai morrer."
Eu tinha pânico.
Mas jamais descriminei quem as usava.
Pois eram colegas e amigos.
Sobre sexo então!
Assunto proibido...
Aprendi ouvindo um lance aqui outro ali.
Lógico que de forma errada.
Quando fui mãe.
Disse a mim mesma.
Vou falar sobre tudo com os meus filhos.
Sempre falei.
Drogas,sexo e tudo.
Certo e errado.
Sexo ;
Um dia meu filho mais velho começou a namorar sério.
Sentei com ele, tinha 14 anos e o mais novo 8.
Peguei uma camisinha.
Uma garrafa dessas de vidro de refrigerante.
Mostrei como se colocava.
Eles arregalaram os olhos.
Expliquei que usando a camisinha.
Não era só para não fazer filho.
E sim par evitar doenças sexualmente transmissíveis.
Eles ficaram meio assustados.
Mas expliquei de forma sutil.
Com as drogas foi a mesma coisa.
Mostrei o lado ruim.
A dependência.
Disse que se um dia eles fossem experimentar.
Que me chamasse.
Pois eu também iria .
Enfim:
Acho que educar não tem uma regra ou uma fórmula.
Cada um encontre a sua.
Mais acho que dialogar e mostrar o porque das coisas é importante.
Que dizer não, é preciso.
Mas explique o porque.
A fórmula da minha mãe deu certo sim.
Mas eu dei sorte,de nada de ruim me acontecer.
Os tempos são outros.
As drogas estão ai .
Bem mais sintéticas.
Com poderes devastadores.
O sexo também não fica muito atrás.
Ainda mais com toda essa quantidade de informação.
Vindo pelo celular,tablet...
Chegando na sua casa em um piscar de olhos.
Sem pedir licença.
Dialogo é fundamental.
Sobre tudo.
Pergunte como foi seu dia.
Mesmo que pareça chato.
Observe o comportamento.
Enfim eduque.
Eu fiz a minha parte.
Estou feliz com o resultado.
Pois eduquei para o mundo lá fora.
Lógico que tenho medo.
Ainda mais aqui no Rio.
A violência.
Mas de resto tô tranquila.







Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Craft room

Bom dia!!!
Quem não quer ter um cantinho só seu??!!!
Aquele espaço que cabe tudo,onde tudo esta milimetricamente no seu lugar,onde podemos,fazer aquela bagunça gostosa na hora que estamos criando...
Um lugar onde só entra aquilo que gostamos,o meu é assim ainda não está totalmente do jeito que quero.
Mas aos poucos eu chego lá....
viajando no mundo dos blogs vi cada um...Aff .
Queria um pouquinho de cada.
Alguns que me chamaram mas a atenção por serem rosas.
Mas não posso ser tendenciosa..
Então ai vai algumas fotos,
Espero que gostem.

Uma menina guerreira.

Conheci uma menina.
Ela tinha 7.
Eu 17.
Sempre tive vontade de ter uma irmã.
Ela se tornou minha irmã mais nova.
Empatia desde do primeiro olhar.
Envergonhada.
Parecia a Emília do Sítio do Pica Pau Amarelo.
Uma graça.
Saíamos juntas.
Cinema.
Teatro.
Restaurantes.
Shoppings.
Tudo que eu via.
Se me lembrasse ela.
Eu comprava para ela.
Moranguinhos.
Sapatos e roupas.
Biquinis.
Isso era um sério problema .
Porque ela odiava biquinis .
Ela foi crescendo.
Mudando.
Tendo opiniões.
Gostos.
Personalidade forte.
Fazia lista de pessoas não gratas.
Era uma figura.
Adorava dançar e cantar.
Sempre que podia eu incluia ela nos meus programas.
Veio a fase da adolescência.
Fase complicada essa.
Cheia de conflitos e paixões.
Dúvidas.
Erros e acertos.
Minha amiga,meio irmã.
Escolheu química.
Não sei se foi um pouco influência minha.
Por meu pai ser um químico industrial.
E eu sempre falo dele com um orgulho imenso.
Ajudei como pude nos estudos.
Porque sabia que ela prometia .
Tem um potencial.
Desde de …

Como pode isso??!!

A natureza é demais.
Me presenteou com dois seres.
Sendo que como pode?
Eles crescem!
Isso é uma covardia.
O Caio foi o segundo .
Nasceu de bunda.
Virada para a lua.
Já de cara vi que era um ser diferente.
Nasceu de 7 meses .
Era enorme .
Bebê gig era o seu apelido na maternidade.
Loiro de olhos claros.
Sem cílios e nem sobrancelhas.
Mamava horrores.
Meus seios .
Pula essa parte.
Adorava banhos.
Dormia ao embalo das minhas canções.
Adorava videos e histórias.
Sempre me pedia mais uma para dormir.
Adorava dançar.
Chorava em todos os dias das mães com as suas dancinhas da escola.
Festas juninas.
Vi ele ficar angustiado ao mudarmos de cidade e também de escola.
Mas logo se adaptou.
Não gostava muito de bicicletas.
Seu negócio eram pranchas e skate.
A ponto de quebrar os dedos do pé.
Vídeo game era o seu vício.
Estudava muito.
Só tirava boas notas.
Não se permitia errar .
Ele cresceu...
Começou a ter suas opiniões.
Ter um grupo de amigos.
Que são os mesmo até hoje.
Lia livros .
Chegou nu…